terça-feira, maio 27, 2008

O filho querido

Não vá ! ela gritou ao filho que já se afastava com a arma em punho, decidido a se tonar mais um soldado do tráfico. Com o pranto lhe inundando os olhos Marta afogava-se no próprio desespero e a vida lhe parecia uma armadilha cruel...seu único filho. Sentado nos fundos João souza, o pai preparava a guia de café para mais um dia de batente como fazia todo final de tarde. "não te sensibilizas com o destino de teu filho?""" A mulher gritou batendo no peito. " Cada qual decide seu caminho" João respondeu tranquilamente, traindo, todavia, um travo de amargura em sua voz " E não existem garantias em nenhum dos caminhos que se escolhe" Ele virou-se para a mulher convulsando e disse " Antes de ser nosso, nosso filho é dele mesmo e a vida é uma coisa sozinha".

Um comentário:

enzo de marco disse...

ok cara , lendo o seu conto me reporto á um documentario de um cantor RAP , que falava basicamente dessa luta diaria entre a sobrevivencia e a vil moralidade , e o trite é que sao jovens que a cada dia são brutalmente morto não s[ó fisicamente mais psicologicamente
iamgino que as mães e osmpais já saibam direitinho o destino que cada filho que põe no mundo numa sociedade tão desigual e corrupita onde o legal é ter o maximo de coisas possiveis e ser um vazio de dignidade
Saudações meu caro amigo JUan , o VIgiemos nossas proles , que possamos construir uma possibiliadde p~/ todos que circulem a nossa volta
[
Enzo de Marco
PS: há muito não fazes uma visita em minha casa e meu blog
aguarto brefvemente p/ que gente posssa tomar algumas cervas e colocar as ideias em dias