terça-feira, setembro 16, 2008

Ao Deus Desconhecido.

O vale é mais perigoso quando
a chuva ameaça e não vem
Pó na gola de nossas camisas,
o gado sedento sem agua
E os filhos do patrão devorando toda comida
Os mais velhos sussuram escuros segredos
Loucos, os jovens bebem como servos dementes.
A cabeça de meu cavalo tombou com um baque
e minha mulher estremece se tardo.
Mas precisamos atravessar esses dias
e seus maus presságios
tributos sem resposta a um deus
que já não serve.

2 comentários:

jorginho da hora disse...

Olha, tudo isso que vc escreve aí tem a ver com a tal da felicidade. Esse negocio de neguinho achar que todo mundo tem que ser jovem e feliz, Aliás, Ha muito me encheu os testículos.

Rosa disse...

Talvez assim as coisas pesem menos do que parecem,tudo é possível e o fardo não precisa ser compartilhado com mais ninguém. É só seguir em frente sem o receio do castigo ou a esperança do milagre. São palavras secas, mas gostei.