sábado, janeiro 23, 2010

Manual de auto destruição do passageiro

Não posso assumir as consequências por este escrito. Ele foi encontrado por mim em condições que infelizmente não posso citar. Todavia devo dizer que suas palavras me pareceram muito honestas e por isso resolvi publicá-las. Você irá ver as janelas de ônibus com outros olhos depois delas.

Manual de auto destruição do passageiro

Prg.1 Seção - A

"Você alguma vez já se pegou mapeando os rostos humanos enquanto transita de ônibus de um ponto a outro de vosso destino? Já observou que em cada expressão se pode obter uma resposta diferente acerca da pressão aleatória do mundo? Pois cada traço, cada sulco, cada sorriso imposto na faces que observares te dará uma diferente estratégia para se virar com as coisas.
E ao desenvolveres esse hábito curioso perceberás também em ti mesmo coisas obscuras que não gostarias de notar. Irás ver as esquivas desculpas que usas para obter aprovação de ti mesmo, por exemplo. Também ficarás mais frio. Irás ter com os seus iguais munido de uma séria desconfiança, de uma suspeita de tudo que parece simples e impessoal. Talvez te esquives desse caminho da observação antes de sentires suas consequências. Mas se persitires nesta arte maldita chegarás a premeditar os atos alheios, a saber qual a proxima crueldadezinha que a dor de uma vida irá fazer cometer. Terás um poder imenso em suas mãos. Poderás desprezar jogo engendrado por tais seres doloridos, como tu, ou tomar em suas mãos o ancinho e o chicote para exigir sua cota de sangue. Mas será um poder inutil. Será um poder em um mundo onde o poder perdeu toda glória. Um mundo no qual o poder é meramente um espasmo. O mundo da superficie dos rostos. Dos rostos parados, arrancados de seus contextos . Enquanto você transita de ônibus."

2 comentários:

Enzo de Marco disse...

Devo admitir meu caro irmão nestes espaços vc geralmente enocntra um tempo imenso para tomar consciência do quanto nos falta algo... Certamente já pegou o Trem que faz o roteiro Calçada x Paripe.... Observará que existem muitas coisas entre o ceú e nossas pequenas ilhota nesse grande oceano de Caus

Saudações e saudades meu caro irmão de alma

Rafael Medeiros dos Santos disse...

Rapaz, eu pensei que era o único a ter adquirido esse vício estranhíssimo!